quinta-feira, 17 de maio de 2018

A GRALHA



Vestiu smoking e foi a Nova Iorque,
com sua voz de gralha e o mau inglês,
cobrar a glória que ninguém extorque,
ao lado do prefeito — outro freguês.

Tirou foto, posando de galã
para a posteridade embasbacada,
que talvez não resista a essa terçã,
mas por enquanto aguenta outra rodada.

Quando lhe perguntaram se era certo
ir frequentar a estufa onde florescem
plantas que não se dão a céu aberto,

disse só que tais coisas acontecem
e quadram bem, se a sorte oferece o azo.
(E outras implicações não vêm ao caso.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário